Dra. Cristina destaca sua trajetória política como sustentação para concorrer à prefeitura de Goiânia e comenta sobre saída de Iris Rezende da disputa

Cristina não acredita definitivamente no anúncio de desistência: “Eu pessoalmente acho que ele vem forte e será candidato novamente”

A corrida eleitoral de 2020 já começou. 14 pré-candidatos já declararam disputa à prefeitura. Dentre esses, quatro são mulheres: Adriana Accorsi (PT); Dra. Cristina Lores (PL); Hemanuelle Jacob (Psol) e Maria Ester (Rede). Esta corrida ao paço municipal, será a maior em número de mulheres participantes.

O jornal O Título, conversou com a pré-candidata pelo Partido Liberal (PL), Dra. Cristina. Ela revelou a razão de disputar a prefeitura de Goiânia e falou sobre o pronunciamento de Iris Rezende, de não disputar a reeleição.

Cristina não acredita na saída definitiva de Iris. Para ela, com o anúncio de desistência o emedebista mexe com o atual cenário de pré-candidaturas e coloca mais força em seu nome, para uma possível disputa. “Eu pessoalmente acho que ele vem forte e será candidato novamente”, declarou a pré-candidata.

Cristina destaca sua trajetória política como sustentação para a disputa. Ela está no segundo mandato de vereadora pela capital goiana, foi relatora do Plano Diretor, é Líder Raps, (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade), foi relatora da Comissão de Especial Inquérito (CEI) da Saúde, que apontou irregularidades na Secretária Municipal de Saúde, obteve mais de 20 mil votos em Goiânia, na eleição para Deputada Estadual de 2018 e diz ter procurado se qualificar e se cercar de boas pessoas, para que possa apresentar uma proposta para a cidade. “Goiânia é uma cidade jovem e que carrega problemas seculares. Seria uma omissão minha não apresentar um projeto para os próximos quatro anos”, declarou Cristina.

Suas maiores bandeiras são as causas da saúde e da mulher. Ela acredita que a questão que envolve violência contra a mulher é cultural, e que não se deve trabalhar apenas com a mulher. É preciso ações com toda à família, que são as pessoas que constitui o ambiente onde agressões são praticadas, além de incentivos à economia criativa solidária e qualificação, para que o papel da mulher não se resuma em apenas cuidar do lar. Em quanto à área da saúde, a pré-candidata do PL, diz que Goiânia vive um desmonte da atenção básica de saúde e também da alta complexidade, através da regulação de vagas, e dispara: “Se Goiânia voltar a ter a rede de assistência que já teve na saúde, é lucro”. Para ela, uma solução seria a construção do Hospital Municipal de Goiânia, pois o município é uma das poucas capitais que não possui um.

Assembleia Legislativa

Cristina Lopes disputou eleição de 2018 ao cargo de Deputada Estadual, obteve mais de 28 mil votos nas urnas pelo seu último partido, (PSDB). Dra. Cristina ficou na colocação de segunda suplente. Com cinco Deputados da coligação, pré-candidatos à prefeitura, em Goiânia e municípios do interior, existe grandes chances de Cristina assumir uma das cadeiras do legislativo estadual em 2021. Caso não ganhe eleição para prefeita de Goiânia. Ela diz ter se preparada para isso ao longo dos seus oitos anos na vida pública. E que já tem grandes contribuições para o estado, mesmo como vereadora e que como deputada essas contribuições só irão aumentar.

Eleições 2020

Devido ao cenário de pandemia do Civid-19 que passa o mundo, as eleições municipais de 2020 foram adiadas. O novo calendário altera o primeiro e segundo turno, de outubro, para novembro.

1º turno: 15/11/2020 (domingo),
2º turno: 29/11/2020 (domingo).