Indústria da música: Fragmentos do sucesso! part1

Não existe receita para o sucesso, mas existem ferramentas para chegar mais próximo disso. No artigo abaixo, você vai ler fragmentos de uma indústria que movimenta bilhões e cresce a cada dia, mesmo em tempos de quarentena. Uma boa produção musical é metade do caminho andado para aqueles que sonham alcançar o sucesso nos palcos. Ter a música tocada no rádio, ver seu clipe se destacar na plataforma de vídeo ou ser convidado para aparecer na televisão, isso não acontece da noite para o dia, ou pelo menos não para maioria das pessoas. O passo a passo para o estrelato, as dificuldades enfrentadas ao longo do caminho e por fim o resultado, sucessos e fracassos fazem parte diariamente desse sonho!

Para falar sobre o tema, convidamos o produtor musical Dudu Oliveira, responsável pela produção musical do mais recente trabalho da dupla Zé Neto e Cristiano, o álbum “Esquece o mundo lá fora”, gravado no final de 2019, lançado este ano.
Fizemos algumas perguntas-chaves para tentar entender esse mundo louco e confuso da música e como um artista anônimo pode chegar ao sucesso. Então vamos lá?

Entrevista

Robson Botero: Como saber se uma música é boa ou não?
Dudu Oliveira: Bom tudo começa por uma boa letra, uma boa melodia, nem sempre o arranjo da música faz ela ser boa. É um conjunto de fatores; o arranjo, melodia, uma letra boa e a produção musical é claro!”

R.B: Para uma boa produção musical como saber quais arranjos colocar nas músicas?
D.O: Tudo em etapas, primeiro vem a pré-produção, gravo teclado, depois bateria e por aí vai…, tem que sentir a música, com isso vou gravando os instrumentos que vai ficando definitivo. São eles que irão para a mixagem e masterização no final. Já cheguei a fazer dois, três arranjos e apagar, depois fazer novamente, até que fique no gosto do artista e do meu gosto também.

R.B: Qual música do álbum “Por mais beijos ao vivo” foi o seu maior desafio na produção?
D.O: Para mim foi a música “TEXTÃO”, pois ela tem um diferencial muito grande na melodia, a própria letra também. O desafio em entregar algo diferente, algo que deixaria a música comercial e com conceito. E ficou excepcional!!!!!!!. Ressaltou Dudu.

R.B: No seu estúdio, quanto custa fazer uma produção musical?
D.O: Não gosto de falar muito sobre valores, pois varia de produtor. Cada um tem seu trabalho, sua técnica. O preço que a gente cobra, é o que nós acreditamos que temos nesse valor. Envolve muita gente, não é apenas uma única pessoa que trabalha, a gente gera vários empregos. Desde o cara que começou a editar, até a mixagem e masterização.

A música no Rádio

Falando em valores, colocar a música para tocar no rádio não é barato. Executar uma faixa em grande escala pelo Brasil, não é algo tão simples como retratado em “Dois filhos de Francisco” (2005). Filme que contava a história da dupla, Zezé di Camargo e Luciano. As moedas (que era utilizado para fazer ligação nos orelhões) acabaram, mas a música continuou tocando no rádio.

Vivemos em tempos diferentes e as moedinhas do Francisco, hoje não daria para fazer o “barulho” como foi antigamente, veja como hoje acontece:

As blitz que muitos artistas fazem nas rádios para depois postarem “a música mais tocada no Brasil”, movimenta milhões de reais. Este é outro passo para que o “produto” seja visto. Neste caso, ouvido por milhões de pessoas. Existe um investimento muito alto, e requer tempo, já que o resultado não é de imediato.

Duplas sertanejas menores como Juan Marcus & Vinícius, gastam cerca de 300 a 350 mil reais por virada de música, isso ocorre a cada quatro meses. Já artistas maiores como Gusttavo Lima, Zé Neto e Cristiano, Guilherme & Benuto, esse número só aumenta!

A dupla de, “apagando fogo com gasolina”, Zé Neto e Cristiano, investe cerca de 400 a 500 mil reais por virada de música. Lembrando que estamos falando apenas de investimentos no rádio. Lançar uma dupla no mercado sai caro, e este valor sai do bolso dos empresários. Artistas novos como Guilherme & Benuto, estão apostando alto e chegam a pagar 800 mil reais por virada de música. Para refrescar a memória de vocês, a dupla já carrega hit’s conhecidos como “3 Batidas”, single que está no repertório do DVD AMANDO BEBENDO E SOFRENDO, gravado no ano passado. O vídeo no YouTube da dupla, já ultrapassou 81 milhões de visualizações.

Gustavo Lima não é diferente. O Embaixador, gasta 600 mil reais em rádios. E na internet chega a desembolsar 1 milhão de reais por disco gravado. Mas porque gastar tanto dinheiro assim em internet? Isso é um investimento, e esse dinheiro volta depois para o bolso do artista. Antigamente as gravadoras ganhavam dinheiro em vendas de fitas K7, CD e DVD’s. Já hoje elas faturam na monetização dos vídeos no YouTube e execução das músicas nas plataformas digitais. Sabe aqueles CD’s promocionais que você ganha em porta de eventos, faculdades, (…), tudo isso é um investimento para que o artista seja conhecido por maior número de pessoas. A indústria da música movimenta milhões e esses números tendem a só aumentar.

Retorno

Quando esse investimento volta? Tá aí uma pergunta sem uma resposta exata. O mercado da música é instável, hoje o que é sucesso amanhã pode não ser. A novidade deixa de existir quando outro produto de um outro artista é lançado no mercado.

Vivemos em tempos que a informação chega muito rápido, antes o artista conseguia trabalhar em média três anos pelo Brasil com o mesmo álbum, hoje a realidade é totalmente diferente. Todo ano se grava um novo trabalho, um novo CD/ DVD. Os artistas faturam alto com os shows, lembrando que quando o dinheiro começa a entrar, eles tem que repor todo investimento feito. Válido lembrar que não é pouco! É estratégico ter ônibus, carreta, uma equipe grande e competente, pois o artista é um produto e tem que vender a ideia de ser algo grande, porém no início essa conta não fecha. O dinheiro sai dos empresários/escritórios para depois no futuro começarem a colherem os frutos do investimento. O maior retorno líquido do artista é em shows e campanhas publicitárias, lembrando que eles também faturam, porém de forma “pequena” nas plataformas digitais como: YouTube, Spotify, Dezzer (…).

Padrinhos

Olha esse assunto vamos deixar para o próximo artigo que iremos aprofundar mais como tudo isso funciona, não é tão simples como parece! Como no mercado da música tudo envolve dinheiro, apadrinhar o artista certo é tudo questão de estratégia!

Hoje existem muitos artistas que sonham em viver pela música, e não podíamos deixar de perguntar para Dudu Oliveira: uma dica ou sugestão para esses novos aspirantes ao estrelato. “Você precisa acreditar, acreditar no seu sonho, correr atrás disso, aprender com outras pessoas, ser uma pessoa que transmita sua verdade, estar sempre perto de pessoas que agregam em sua vida e jamais deixar de acreditar. ACREDITA E TENHA FÉ, tudo vai chegar e acontecer na hora certa!”, destacou Dudu Oliveira.

Com informações: Robson Botero/ Colunista

** Este texto não reflete necessariamente, a opinião de O Título.